O que acontece quando uma pessoa se junta ao Estado Islâmico, mas quer voltar para casa

Entretenimento | 1 de agosto de 2017 por Gustavo Camargo

Você sabe o que significa a sigla ISIS? Se você é uma pessoa que costuma acompanhar sites de notícias, em algum momento você já se deparou com essa sigla, mas o que exatamente elas querem dizer?  ISIS é a abreviação de Islamic State of Iraq and Syria. Em português, as formas adotadas pela imprensa brasileira são “estado islâmico” ou “EI”.

O grupo do ISIS, foi considerado uma organização terrorista pela ONU. O Estado Islâmico ganhou notoriedade na imprensa internacional por conta de suas ações violentas que tem como objetivo chamar atenção para sua causa. As ações do grupo vêm sendo duramente criticadas pela comunidade internacional, inclusive por diversas comunidades muçulmanas, que não os veem como um representante legítimo do islamismo.

Mas, o que acontece se uma pessoa entrar nessa organização e depois querer sair? Bom, segundo Adam Deen think-tank contra-extremismo: “Eu trabalho com vários ex-extremistas que agora funcionam como seres humanos normais. É absolutamente possível colocá-los novamente na sociedade. Se pudermos entender os motivos pelos quais as pessoas se juntaram a organizações extremistas, podemos desfazer esses motivos”.

Esse argumento foi levantado depois de alguns relatos de uma adolescente alemã chamada Linda Wenzel, que fugiu de casa para se aliar ao ISIS em julho de 2016, mas agora se arrepender da decisão e está sendo mantida presa no Iraque, tornando impossível que ela retorne para sua família. Como ex-extremista islâmico, Deen conhece as pressões que enfrentará para se reintegrar na sociedade. Ela se explica que se arrepender amargamente por ter se juntado a essa organização e que quer voltar para a Alemanha.

“Eu só quero sair daqui”, disse Wenzel às emissoras alemãs NDR e WDR e ao jornal Sueddeutsche Zeitung. “Eu quero fugir da guerra, das muitas armas, do barulho … Eu só quero ir para casa com minha família”.

A algum tempo o ISIS só estava recrutando mulheres, e existam motivos para isso: ajudava a envergonhar os homens a se alistarem ou até mesmo para o trabalho sexual e doméstico. Eles focam especificamente em mulheres jovens em todo o mundo, por mídias sociais.

Se Wenzel conseguir voltar para a Alemanha, ela irá enfrentar acusações criminais: “Se ela se envolveu em qualquer combate, ela teria que enfrentar um júri e ser tentada por isso”, diz Deen. “Eu acredito que ela deve ser extraditada de volta para a Alemanha, porque se tivermos a chance de reabilitá-la, sua melhor chance é tirá-la desse ambiente”.

Segundo Deen, o fator mais importante a favor no caso de Wenzel não será seu sexo, mas sua juventude. “Ela é jovem e vulnerável, e sem dúvida, ela será evitada por muitas pessoas se ela se reintegrar na sociedade”, diz ele. “Precisamos usar sua história e sua reabilitação como uma lição para outros jovens, para que eles possam evitar sua jornada e não cair nas armadilhas do extremismo”.

E ai, o que acharam dessa história? Comenta ai e não se esqueça de compartilhar com os amigos, lembrando que seu feedback é sempre muito importante.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Comentários