Fotógrafo sírio parou de trabalhar para fazer algo que vale mais do que dinheiro

Curiosidades | Entretenimento | 19 de abril de 2017 por Lucas Fenrir

O instinto de um fotógrafo de guerra é de tirar fotos. E isso ocorre independente do que está acontecendo em frente às suas lentes. É parte do princípios fotojornalístico de imparcialidade. Mas, quando uma grande explosão atinge um comboio de ônibus cheio de refugiados da Síria, o instinto de Abd Alkader Habak mudou.

Seu instinto humano fez com que ele colocasse sua câmera de lado e fizesse algo diferente. Ele carregou um garoto ferido pela explosão para um local seguro.

“A cena foi horrível – especialmente vendo crianças sofrendo e morrendo na nossa frente. Então, eu e meus colegas decidimos colocar nossas câmeras de lado e começar a resgatar os feridos”, disse Adb em entrevistas.

A explosão matou 126 pessoas. O fotógrafo não sabe se o menino que ele ajudou a resgatar veio a sobreviver, mas disse que ele estava se mexendo e respirando quando foi levado pela ambulância.

Um outro fotógrafo conseguiu capturar esse momento corajogo e altruísta em sua câmera, bem como outros momentos. um deles é o de Abd, de joelhos, chorando ao lado do corpo de uma outra vítima,q eu não sobreviveu.

“Eu estava transborbando de emoção. O que meus colegas e eu testemunhamos foi indescritível.

Resgate

Confira as imagens de Abd, capturadas pelos seus colegas. Cuidado! Algumas são fortes demais…

Refugiados

“Refugiado” é toda a pessoa que se encontra fora do seu país de origem por medo de perseguição devido à sua raça, religião, nacionalidade, associação a determinado grupo social ou opinião política. Além disso, por causa desses medos, receios e perseguições, não pode ou não querem retornar ao seu país nativo. Dessa forma, eles buscam refúgio em outros países.

E então, leitor(a), o que achou da matéria? O que sentiu quando viu as imagens? O que teria feito no lugar do fotógrafo Abd? Deixa pra gente nos comments.

Fonte(s): Bored Panda
Imagens: Bored Panda
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Comentários