Essa estudante criou, “sem querer”, o que pode ser o sonho de muitas pessoas

Ciência e Tecnologia | Curiosidades | 15 de maio de 2017 por Gustavo Camargo

Acidentes acontecem toda hora, quando você vai fazer um bolo e erra a quantidade de fermento da receita ou até mesmo quando esquece de ligar para sua namorada. Em uma Universidade da Califórnia, uma estudante chamada Mya Le Thai, fez por acidente, enquanto “brincava” em um dos laboratórios, uma descoberta que poderia mudar os frágeis problemas que temos na tecnologia hoje em dia, que são as baterias dos aparelhos e dispositivos durarem muito pouco.

Mya acabou descobrindo um procedimento que pode fazer as baterias durarem até 400 anos. Se a descoberta de Mya se confirmar, a novidade pode trazer bons frutos para o campo tecnológico, econômico e ecológico.

Já eram realizados experimentos com nanofios e sua aplicação nas baterias, mas quando eram realizado recargas acabavam por romper os fios que faziam parte das baterias. Mya, um dia decide cobrir um grupo de nanofios de ouro com dióxido de manganês, um tipo de gel eletrólito, e colocando as baterias para realizar ciclos de cargas, descargas e recargas. E foi nesse momento que Mya descobre que sua descoberta chega a 200 mil recargas em um único mês, enquanto uma bateria normal só chegam a 500 recargas. De acordo com o diretor do departamento de química na Universidade, Reginald Penner, “ela foi testar o uso desse revestimento em gel, e fim assim que teve essa surpresa!”. Para quem só estava brincando no laboratório, “a sorte de Mya” pode ser a sorte do mundo.

Essa invenção de nanofios de ouro, não ficaria acessível para todas as pessoas, então pesquisadores sugeriram um substituto feito de níquel para fazer a produção em massa. Todo o procedimento ainda está sendo testado, mas com a criação dessas baterias duráveis poderíamos acabar com o desperdício de baterias que são descartadas quando não tem mais utilização. Eliminando assim esse grande problema que é o descarte irregular dessas baterias que prejudicam o meio ambiente.

E ai, o que achou da matéria? Comenta ai!

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Comentários